The Workplace

Análise de mercado por quem respira mercado.

Workplace: saiba quais são os segredos para planejar uma volta gradativa ao presencial

Workplace: saiba quais são os segredos para planejar uma volta gradativa ao presencial

No cenário pós-pandemia, existem três dinâmicas de trabalho pelas quais as empresas podem optar: a volta 100% da equipe ao presencial, a permanência do remoto ou o modelo híbrido – que é definido por trabalhar alguns dias em home office e outros no escritório. Cabe a cada companhia escolher a prática que melhor se encaixa no setor de atuação e também ao perfil dos colaboradores. Inclusive, pode até fazer um mix dessas alternativas.

O modelo mais comentado na imprensa e em pesquisas, pelos especialistas de RH e formadores de opinião, é o híbrido. Isso porque implantá-lo ainda é visto como um desafio por muitas organizações, uma vez que exige preparação, mudanças no escritórios, alterações na dinâmica do time etc. Porém, o simples fato de retornar ao trabalho presencial não deve ser uma barreira rumo a um formato híbrido de sucesso.

De acordo com um recente estudo da Deloitte, realizado com 662 companhias brasileiras cujos faturamentos estão entre R$ 100 milhões e R$ 1 bilhão, antes da Covid-19, 24% das empresas ofereciam teletrabalho ou políticas flexíveis, enquanto após a pandemia esse número saltou para 98%.

Com o processo de imunização em progresso, é de se imaginar que daqui a alguns meses os escritórios voltem a ficar, gradativamente, com uso intensivo. Por isso mesmo, o momento de planejar o modelo a ser implementado nas companhias é agora. Para aquelas que optarem pelo híbrido ou 100% presencial, é imprescindível saber que os líderes devem introduzir a política de gestão de uso dos escritórios, para que tudo flua de maneira assertiva, os colaboradores fiquem satisfeitos com o retorno, e a companhia consiga também economizar em relação aos gastos gerados com o espaço.

A flexibilidade no modelo de trabalho não pode ser vista como um “bicho de sete cabeças” pelos gestores. Por meio de tecnologias voltadas à gestão do uso dos escritórios, as organizações têm todo o respaldo de que necessitam para que o dia a dia corporativo seja produtivo, útil e eficaz. E, ainda, para tornarem as questões do workplace baseadas em dados, resultando em uma gestão mais eficiente.

Olhando pela ótica do home office e das pessoas, é aconselhável também disponibilizar, aos colaboradores, tecnologias e ferramentas que permitam a liberdade em suas rotinas profissionais, além de ações contínuas, com o objetivo de preservar a saúde mental de todos, principalmente no momento de transição da dinâmica de trabalho.

O segredo para manter os colaboradores engajados e contentes com essas mudanças na dinâmica de trabalho é as empresas apostarem em Employee Experience (EX) e proporcionarem sempre excelentes experiências no dia a dia corporativo.

Outro fator que irá influenciar fortemente no engajamento da equipe é os gestores escolherem o modelo que melhor se adapte ao setor da companhia e ao perfil dos colaboradores. Lembre-se: é preciso ser estratégico ao tomar tal decisão, pois ela impactará diretamente no andamento dos negócios em um futuro próximo. As pessoas precisam se sentir bem não somente nos dias em que estão em home office: o escritório também deve acolher e ser visto como um local agradável e eficiente, onde todos querem estar. E isso só é possível com a adoção de ferramentas que auxiliam nessa jornada e tornam o retorno leve e sem descontentamentos.

A Neowrk está aqui para mostrar que não é tão complicado assim. Conte conosco sempre!

Deixe um Comentário