The Workplace

Análise de mercado para quem respira mercado.

Workplace: o risco de se manter no mais do mesmo

crello-193044520-stock-photo-headsets-laptops-tables-modern-office (1)

Desde março de 2020 o mundo vem sofrendo transformações, assim como as pessoas, as relações e o mercado corporativo. As empresas, por sua vez, ainda estão tentando se adaptar às abruptas mudanças ocorridas nos últimos dezoito meses, por meio de adoção de tecnologias, de novas dinâmicas de trabalho e vários outros experimentos – tudo para conseguirem se manter ativas, saudáveis, desempenhando um bom trabalho e retendo seus talentos.

Quando falamos das novas diretrizes que o trabalho ganhou e continua ganhando, vimos que os desafios seguem perseguindo as companhias, que se deparam com dilemas e desafios quanto ao modelo a adotar: manter o home office, optar pelo híbrido ou voltar totalmente ao tradicional, caracterizado por todos no escritório, trabalhando presencial.

Como a pandemia trouxe essa reflexão e possibilidade, hoje em dia as pessoas estão cada vez mais em busca do melhor equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal. Logo, percebe-se que a tendência será a adoção do modelo híbrido e o entendimento de que o workplace precisa ser repaginado para acolher esse novo perfil de pessoas,

um local moderno, inteligente, baseado em dados, todo respaldado por tecnologias que facilitem o dia a dia da área de facilities, de RH e de TI, setores que devem trabalhar juntos para gerir o escritório e torná-lo cada vez mais robusto e eficiente.

Olhando pela ótica dos colaboradores, eles também perceberão muitas diferenças ao usufruírem de um local de trabalho remanejado, pensado para acolhê-los da melhor forma, garantindo segurança, confiança e proporcionando ferramentas automatizadas que facilitem seu dia a dia, como, por exemplo, agendamento de mesa, de sala de reunião, de cadeiras no refeitório, até de fretado, tendo a empresa presente do começo ao fim de sua jornada.

Organizações que insistirem em não se modernizar, em não atender às preferências dos funcionários e continuarem analógicas, sem nenhuma tecnologia facilitadora para auxiliar o trabalho ou a gestão do escritório, certamente terão prejuízos no médio e longo prazo, perdendo talentos, eficiência operacional e produtividade – porque está mais do que claro que, para crescer num mercado tão competitivo, a adoção de tecnologias é indispensável. Ela engaja times, otimiza processos, agiliza entregas e evita falhas.

Deixe um Comentário